Quantas vezes é necessário recomeçar?

Time,

Hoje uma grande pessoa me perguntou, quantas vezes é necessário recomeçar. Tentei transpor esta pergunta para o cenário do mundo dos projetos, afinal trata-se de algo com inicio e fim bem definido, com processos, pessoas, tecnologia, há necessidades e desejos e projetos.

… Mas quantas vezes é necessário recomeçar?

Li algo que dizia que não importa aonde você parou, em que momento da vida cansou, o que importa é que sempre que possível possa “recomeçar”, dar uma chance a si mesmo, renovar sempre e acreditar.

Uma equipe desacreditada, um gerente desmotivado, com certeza impactará na saúde do projeto.

Acreditou em um método cujo não tinha tanta experiencia? Nem tudo está perdido!

O interessante no mundo dos projetos, assim como na vida, é que tudo leva a melhoria, lembra do Kaizen? O processo de melhoria continua, gradual, na vida em geral (pessoal, familiar, social e no trabalho). Pode ser visto como um processo diário, cujo propósito vai além de aumento da produtividade

“Hoje melhor do que ontem, amanhã melhor do que hoje!”

Para o Kaizen, é sempre possível fazer melhor, nenhum dia deve passar sem que alguma melhoria tenha sido implantada, seja ela na estrutura da empresa ou no indivíduo. Sua metodologia traz resultados concretos, tanto qualitativamente, quanto quantitativamente, em um curto espaço de tempo e a um baixo custo (que, conseqüentemente, aumenta a lucratividade), apoiados na sinergia gerada por uma equipe reunida para alcançar metas estabelecidas pela direção da empresa (Wikipedia, 2013).

Onde você quer chegar? Ir alto. Sonhe alto, queira o melhor do melhor, queira coisas boas para a vida. Pensamentos assim trazem para nós aquilo que desejamos. Se pensarmos pequeno, coisas pequenas teremos (Paulo Gaefke).

Uma analogia conhecida é a de uma história chamada “O Tesouro de Bresa”, na qual um pobre alfaiate compra um livro com o segredo de um tesouro. Para descobrir o segredo, ele tem que decifrar todos os idiomas escritos no livro. Ao estudar e aprender estes idiomas, começam a surgir oportunidades, e ele lentamente (de forma segura) começa a prosperar. Depois, é preciso decifrar os cálculos matemáticos do livro. É obrigado a continuar estudando e se desenvolvendo, e a sua prosperidade aumenta. No final da história, não existe tesouro algum – na busca do segredo, a pessoa se desenvolveu tanto que ela mesma passa a ser o tesouro. O processo de melhoria não deve acabar nunca, e os tesouros são conquistados com saber e trabalho.

Por isso, a viagem é mais importante que o destino!

Um grande abraço,

Rodrigo Silva, PMP